quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Not Like the Movies - 9º Capítulo

Joe estava sério, me encarava com aqueles olhos profundos.
Demi: Então vocês já sabiam que isso tudo iria acontecer? - Eu perguntei gritando inconformada.
Joe: Não exatamente, meu pai e sua mãe suspeitavam um ataque, mas não achavam que seria bem no dia do seu aniversário.
Demi: Você só veio para me proteger?
Joe: Na verdade não... Eu fiquei sabendo desse ataque ontem de manhã. Ouvi meu pai conversando com outro segurança, o que deveria estar te protegendo.
Demi: Então porque você está aqui e não ele?
Joe: Porque quando eu ouvi o primeiro grito, eu soube que aquilo iria acontecer, e eu que estava ali, te observando. O outro segurança não estava tão perto, então decidi fazer o que era necessário.
Eu corei. Ele estava me observando...?
Demi: E quem foi o responsável por esse ataque? - Mudei um pouco o assunto.
Joe: Pelo que eu entendi, foi o mesmo rei que assassinou o seu pai, aquele que é inimigo desse reino. E ainda tem uma notícia pior...
Demi: O que?
Joe pegou a mochila e a abriu retirando de lá um monte de papel, um jornal.
Joe: Consegui isso no castelo. - Ele abriu o jornal e me entregou. Nele havia a grande manchete na primeira página:

"Catástrofe em Polisséia. Na noite de ontem, um grande acontecimento abalou todo o reino de Polisséia. No aniversário de 18 anos da princesa, futura rainha, Demetria Lovato, estavam todos os convidados despreparados quando o ataque aconteceu. Fogo, gritaria e ferimentos. Nisso se resumiu o fim da noite. Ainda não foi confirmado o motivo do ataque, mas parece que o responsável foi o rei Martin, assassino de Patrick Lovato, antigo rei de Polisséia que morreu há 8 anos. O castelo agora se encontra nas mãos de Martin, que divulgou hoje pela manhã seu pedido de casamento à rainha Dianna..."

Eu parei de ler e meu olhar se perdeu nas paredes da caverna. Me levantei rapidamente e meus olhos se encheram de lágrima.
Demi: Esse imbecíl ainda acha que vai se casar com a minha mãe?!?! - Eu gritei tão alto que fez eco na caverna. Estava euforica e andava de um lado pro outro com aquele jornal na mão batendo com ele nas paredes. Joe se levantou rápido e tentou me segurar.
Joe: Princesa, eu acho melhor você não gritar e terminar de ler isso... Ainda vai piorar.
Eu parei e fiquei mais assustada ainda. Voltei meu olhar para o jornal e continuei lendo.

"Ainda não foi confirmada a resposta da Rainha, mas parece que ela não tem outra saída a não ser aceitar. Além de tudo que está acontecendo, a princesa Demetria está desaparecida desde a noite do ataque, e as buscas por ela aumentam a cada minuto. Muitos homens do exército de Martin estão rondando a ilha de Polisséia em busca da princesa. Não se sabe o que farão com ela. Mas, se não estiver morta, terá que se submeter às ordens do novo rei de Polisséia."

Demi: NOVO REI DE POLISSÉIA?! - Eu gritei novamente me agitando.
Joe: Princesa, se você não entendeu, tem homens te procurando por toda parte, e se você ficar gritando assim, vai facilitar muito o trabalho deles! - Joe disse irônico me segurando pelos braços.
Demi: Certo, me desculpa... Mas o que quer dizer que minha mãe não tem outra escolha se não aceitar? - Perguntei fitando aquelas palavras no jornal.
Joe: Talvez ele tenha a ameaçado ou coisa do tipo...
Demi: Nossa estou muito mais tranquila agora... - Eu disse irônica e Joe revirou os olhos.
Joe: Pelo menos você sabe que sua mãe está viva.
Demi: Mas não está segura.
Joe: Ela sabe se virar princesa, ela governa isso tudo há 10 anos sozinha, já está acostumada a ameaças.
Demi: Você ta certo. Minha mãe é boa em enrolar as pessoas... - Eu dei um meio sorriso.
Joe: Por enquanto temos que nos concentrar em você. - Ele disse sério, pegou o jornal da minha mão e o enfiou na mochila.

Selinho *-*

Ganhei esse selinho da lindooooooooooona da Elane, brigada mesmo *-* Sigam o blog maravilhoso dela: I'm Zombie

Not Like the Movies - 8º Capítulo + Divulgação


Eu me recuperei do susto e me levantei com dificuldade, meu vestido molhado pesava no corpo. Joe também ficou de pé e parecia preocupado.
Joe: Não é seguro aqui, vamos.
Demi: Eu não saio daqui até você me explicar o que está acontecendo.
Joe: Não temos tempo agora princesa, vem comigo, depois eu explico tudo. Por favor.
Eu não repliquei, segurei a mão dele e fomos caminhando devagar pelas rochas para não cair. Tivemos que escalar várias vezes, ele me ajudava claro, porque eu nunca tinha saído do castelo e não fazia ideia do que estava fazendo. Até que ele entrou em uma caverna, iluminada somente pela luz lunar. O fato de estar noite me deixava ainda mais assustada. Lá de baixo não ouviamos muito do que acontecia no castelo, mas dava para ver luzes piscando. Eu entrei na caverna devagar. Joe checou tudo, e quando terminou, olhou pra mim.
Joe: É aqui que ficaremos por enquanto.
Então eu desabei. Me sentei no chão encostada na parede da caverna e coloquei as mãos no rosto tentando impedir as lágrimas que agora saíam descontroladamente. Eu chorei tanto que comecei a soluçar. Joe não disse nada, só se sentou ao meu lado e me abraçou. Eu encostei a cabeça no seu ombro e fiquei ali chorando, até adormecer.
Acordei, o sol já brilhava, senti um pouco de dor nas costas, por ter dormido naquele chão duro depois de anos dormindo em colchões de alta qualidade. Me sentei e bocejei tampando os olhos por causa da luz que vinha de fora da caverna. É, aquilo era real, aquele pesadelo era real. Percebi que tinha um pano sobre mim. Segurei e vi que era uma camisa que me manteu aquecida durante a noite.
- Ah, bom dia princesa... - Joe entrou na cavera e estava sem camisa, carregando uma mochila.
Demi: Bom dia... Porque sua camisa está em mim? E onde você conseguiu essa mochila?
Joe: Você estava fria quando dormiu, então torci a minha camisa que estava molhada e coloquei sobre você... Não é grande coisa, mas pelo menos aquece um pouco.
Demi: Hm... Obrigada. - Eu me levantei e joguei a camisa pra ele, mesmo que gostasse de vê-lo sem ela...
Joe: Quanto a mochila, foi a única coisa que consegui pegar do castelo. Trouxe comida pra você. - Ele abriu a mochila e jogou pra mim um pão.
Demi: Você entrou no castelo?
Joe: Mais ou menos isso.
Demi: Como está lá? Você viu a minha mãe?
Joe: Princesa, eu só consegui entrar porque o meu quarto estava com uma janela aberta.
Demi: Você pode parar de me chamar assim por favor? E eu agradeço pelo pão, mas não precisa fazer isso pra mim. Eu quero voltar pra casa.
Ele me olhou quase com pena. Colocou a mochila no chão e se colocou na minha frente, me fez sentar e também se sentou.
Joe: Ta na hora de você saber o que houve princesa.
---------------------------------//---------------------------------
DIVULGAÇÃO:
www.jemilovely.blogspot.com.br
www.vitoriaoliveiraesuashistoriasjemi.blogspot.com
----------------------------------------//----------------------------------------
Posto o outro mais tarde ;)
Beijos lindas! Amo vocês!

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Not Like the Movies - 7º Capítulo

Medo. Posso definir tudo o que eu estava sentindo naquele momento com essa palavra. Joe corria e me puxava pelo braço com pressa. Pessoas corriam por todo lado, mulheres caíam e gritavam. Fogo em um dos cômodos. Havia tido uma explosão atrás de nós, o que fez com que Joe se apressasse mais ainda. Eu gritava pra ele, mas ele me ignorava e continuava, até que eu tropecei. Ele parou, veio até o meu lado e passou o meu braço pelo seu pescoço fazendo com que eu me apoiasse nele, assim fomos mais rápidos ainda. Ele me arrastava por um caminho estranho. Passamos pelo salão principal e eu avistando todas aquelas pessoas gritando, só me apavorava mais ainda. O que estava acontecendo ali? Entramos em uma porta que eu sinceramente não sabia que existia no castelo, e fomos parar em um quarto vazio, entramos e ele fechou a porta.
Demi: Pode me explicar o que está acontecendo? - Eu gritei assustada.
Ele me ignorou totalmente e foi andando rápido até a janela que estava trancada. Forçou pra tentar abrir, mas o cadeado não cedia. As pessoas lá fora continuavam gritando. Joe se afastou um pouco da janela, eu continuava perguntando milhares de coisas pra ele e ele continuava me ignorando. Deu um chute forte na janela e ela se abriu. Ele olhou pra fora dela, se virou pra mim e esticou sua mão.
Joe: Vai ter que confiar em mim.
Demi: O que você quer dizer com isso? Da pra me explicar? E a minha mãe?
Ele caminhou até onde eu estava e segurou a minha mão, passou a outra mão pela minha bochecha e foi ai que eu percebi que estava chorando e ele enxugava minhas lágrimas.
Joe: Eu vou te tirar daqui e depois explico tudo.
Demi: Não vou sair daqui sem a minha mãe. - Soltei a mão dele da minha, me virei e fui em direção à porta.
Não tive mais tempo de nada. Quando vi, já estava no colo do Joe, que corria comigo em direção à janela enquanto eu gritava e me debatia. Então ele pulou. Parecia que a queda não acabaria nunca. Me agarrei no pescoço dele, que parecia tranquilo, como se fosse normal se atirar de um precipício todos os dias. Eu nunca tinha percebido o quanto esse castelo ficava no alto. Mas graças a Deus, tinha um enorme mar atrás dele, e foi lá que caímos.
(finjam que essa construção aí é o castelo... é só pra mostrar a altura que eles pularam...E tava de noite!)

Só havia um probleminha. Eu não sei nadar. Quando tocamos na água, eu e o Joe nos separamos, a água me jogou pra um lado, e ele para o outro. A queda foi alta, então eu afundei muito. Me desesperei e comecei a bater os braços e as pernas feito louca, lembrando que eu ainda estava de vestido, meu cabelo tinha soltado e o salto já tinha se perdido no caminho. Já pensando que iria morrer, fiquei parada e comecei a afundar ainda mais, tentei respirar desesperada e a água entrou nos meus pulmões. Até que duas mãos me seguraram pela cintura e me puxaram rapidamente para cima. Demorou, mas chegamos à superfície e eu pude respirar. Comecei a tossir muito. Olhei para a direita e Joe estava ali, movendo os braços tentando nos levar à algum lugar. Havia uma grande montanha embaixo do castelo e Joe conseguiu nos arrastar até uma parte de pedregulhos livre da água. Me deitou em uma rocha e se deitou ao meu lado. Eu me sentei e continuei tossindo, tirando a água dos pulmões. Joe respirava fundo ao meu lado, olhando pra cima. Eu coloquei as mãos na cabeça e fiquei ali desesperada. Meu castelo estava em chamas, eu tinha deixado minha mãe para trás e agora estava ali, fugindo com um cara que praticamente me atirou de uma montanha. Depois dizem que vida de princesa é fácil.

--------------------------------//-------------------------------
Primeiro: Desculpem por ter demorado 3 dias pra postar! Fiquei sem internet aqui em casa, e só voltou a funcionar ontem a noite, então deixei pra postar hoje mesmo!
Segundo: A boa notícia é que nesse tempo sem net, eu adiantei alguns capítulos, então amanhã postarei 2 ;)
Terceiro: Obrigadaaaaa a todas que comentaram no ultimo post, foi o meu post com mais comentários e eu fiquei super feliz :D Pra ver as minhas respostas clica aqui
Quarto: Já que vocês são seguidoras maravilhosas, eu quero dedicar capítulos a vocês, então quem quiser, escreve no comentário o que você quer no capítulo dedicado à você (Ex: Romance, tensão, ação, etc...).
Amo vocêêêês demais da conta *-*
Beijosss


sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Not Like the Movies - 6º Capítulo (Parte 3)

Ali naquele momento, dançando com ele, eu finalmente estava me divertindo na festa. Joseph era engraçado e conseguia tirar boas gargalhadas de mim. Mesmo a música estando lenta, as vezes ele me girava e fazia uns passos estranhos só para ser palhaço. As pessoas olhavam mas eu não ligava. Eu estava me divertindo e isso que importa. Ficamos dançando uns 20 minutos. Depois paramos e fomos comer alguma coisa. Eu comi só um salgadinho e depois um brigadeiro, já ele encheu um prato de sanduíches e doces tudo misturado e foi se sentar em uma mesa pra comer. Eu me sentei ao seu lado e ri do desespero dele por comida.
Demi: Ei, vai com calma Joseph - Eu ri.
Joe: Não me chama de Joseph, e não me manda ir com calma porque comida é comigo mesmo. - Ele riu.
Demi: Certo Joseph, quer dizer Joe...
Joe: Melhor. Aliás, feliz aniversário princesa! - Ele parou de mastigar e se curvou pra dar um beijo na minha bochecha.
Demi: Obrigada!
Minha mãe apareceu nesse instante, acompanhada de ninguém menos do que o príncipe Josh que tinha sumido e agora estava com uma expressão séria.
Dianna: Demetria, o príncipe estava te procurando. Olá Joseph! - Minha mãe sorriu e Joe se levantou para cumprimentá-la. Depois ela se virou e voltou pra festa.
Demi: Onde você se meteu Josh? Quando eu voltei pra cá, você tinha sumido!
Josh: Eu tinha ido ao banheiro, mas quando voltei você não estava aqui então fui procurar o meu pai, que achou a sua mãe que me trouxe aqui. Mas parece que você já arranjou companhia. - Ele disse isso olhando pro Joe com desgosto.
Demi: Joe, esse é o príncipe Josh, e Josh esse é... meu amigo, Joseph.
Joe: Eai...
Josh se sentou na cadeira ao meu lado e ignorou Joe. Ficou um tempo em silêncio, enquanto Joe comia seus sanduíches, e sempre fazia graça. Eu ria e Josh ficava quieto. Minha risada ecoava no salão. A música continuava tocando e as pessoas conversavam por toda parte. Repórteres fotografavam tudo.
Josh: Demi, eu te trouxe um presente. - Ele colocou a mão no bolso do seu paletó e tirou uma caixinha de lá. Eu fiz cara de susto, pensei imediatamente que fosse um anel de noivado ou alguma coisa do tipo. Mas ele abriu e era um colar lindo. Eu sorri e ele sorriu de volta.

Demi: Nossa Josh! É... É lindo! Brigada!
Josh: Você merece mais do que isso. - Quando ele disse isso, percebi que ao meu lado Joe revirou os olhos como se tudo aquilo fosse meloso demais pra ele.
Josh se levantou e tirou o colar da caixinha, abriu-o e ficou atrás de mim. Passou o colar pelo meu pescoço e o fechou. Voltou a sua cadeira e se sentou sorrindo para mim. Joe terminou de comer.
Joe: Já que eu sobrei aqui, vou dar uma voltinha.
Demi: Não precisa... - Mas ele já tinha se levantado e saiu andando.
Josh: Deixa ele ir, vamos dançar? - Ele perguntou se levantando e estendendo a mão.
Demi: Hm... Claro... - Eu disse e me levantei e fomos dançar.
Na pista ele não tirava os olhos de mim, e eu sorri envergonhada. Ele não falava nada e eu não tinha o que falar também e isso gerou uma situação desconfortável.
Josh: Demi...
Demi: Sim?
Josh: Acho que tá na hora de você saber de algo...
Demi: O que?
Josh: Eu... Bom... É que... Demi, eu sou louco por você!
Ele falou isso e eu gelei. Fiquei parada no lugar e não obtive uma resposta. Nesse momento algo estranho aconteceu. Pessoas gritaram, começaram a correr, a música parou e Joe apareceu do meu lado.
Joe: Ta na hora de ir. - Ele disse pegando a minha mão, não parecia assustado, mas sim com pressa. - É melhor você sair daqui cara. - Ele se referiu ao Josh, e então Joe correu e me puxou, era difícil correr de salto, mas eu fiz esforço porque mesmo não entendendo o que estava acontecendo, eu estava assustada e percebi que não era nada bom. E de repente uma explosão.

-------------------------------------//-------------------------------------
E é a partir daí que a história começa de verdade ;)
Até amanhã meninas!

Not Like the Movies - 6º Capítulo (Parte 2) + Divulgação

Depois que o Joseph saiu eu fiquei preocupada. E se ele fizesse alguma coisa pra estragar essa festa de vez? Eu iria atrás dele, mas no momento em que me levantei o Josh voltou com sua bebida.
Josh: Aonde você vai?
Demi: Hã... Nenhum lugar, eu só ia procurar a minha mãe, mas deixa pra lá. - Achei melhor não falar nada pra ele.
Josh: Tabom então...
Ele se sentou e eu também, ficamos um tempo conversando normalmente, até que a música chata e calma parou e meu coração gelou ao ouvir:
XXX: Essa vai pra princesa! Vamos animar isso aqui gente!
De repente começa uma música eletrônica muito alta e as luzes se apagam e começam a piscar. Eu me levantei morrendo de vergonha e quando vi, no lugar da banda de antes estava o Joseph dançando feito um louco, mexendo na caixa de som que ele tinha arranjado. Todos os olhares estavam divididos entre eu e ele. Josh não estava entendendo nada, olhava pro louco dançando e depois pra mim, que simplesmente não sabia o que fazer. Eu estava literalmente procurando algum lugar pra enfiar a cara de tanta vergonha. Até que percebi que tinha dado certo. As pessoas começaram a dançar no ritmo da música. Elas chamavam umas as outras para dançar, sorrindo. Até os mais velhos começaram a se animar. Meu olhar se encontrou com o da minha mãe que estava do outro lado do salão. Ela me olhava com reprovação e eu dei de ombros como se não soubesse de nada. A culpa não foi minha poxa. Me virei e dessa vez meu olhar se encontrou com o de Joseph que sorria animado ainda dançando.
Demi: Josh, eu já volto.
Josh: Tudo bem. - Até ele já sorria e se movimentava um pouco, tentando se conter.
Eu fui caminhando no meio do povo que dançava e quando eu passava eles abriam caminho. Cheguei perto do palco onde estava a caixa de som em volume muito alto, tapei um dos ouvido e fiquei balançando uma mão para chamar atenção do Joseph. Ele olhou pra mim e pulou do palco na minha frente.
Joe: Gostou? - Ele gritava, para que eu o escutasse.
Demi: O que???
Joe: GOSTOU?
Eu não estava escutando nada então o puxei pra longe da caixa de som.
Demi: Você viu o que você fez?
Joe: Deixei a festa legal! - Ele sorriu.
Demi: Me deixou de castigo, isso sim.
Joe: Mas você não fez nada de errado.
Demi: Você não conhece a minha mãe Joseph... Qualquer coisa que dá errado ela me culpa... Ainda mais que você disse que foi pra mim, então ela vai achar que eu pedi...
Joe: Ah relaxa ai e curte a sua festa!
Demi: Não acho uma boa ideia.
Joe: Bom, eu vou curtir. - Dizendo isso ele se curvou e se virou indo de volta pra pista onde todos dançavam.
Eu bufei e revirei os olhos. Voltei pra onde estava antes, e não encontrei o Josh. Provavelmente já estava dançando com outras pessoas. Logo senti uma mão nas minhas costas e era a minha mãe.
Dianna: O que significa isso?
Demi: Mãe, eu juro que não fiz nada. Foi o filho do tio Kevin!
Dianna: Sim, eu vi ele no palco... Olha no que essa festa se transformou! É um desastre!
Demi: Eu achei mais legal assim... E parece que a maioria das pessoas também acharam.
Dianna: Vou deixar eles aproveitarem somente mais uma música.
Dito e feito. Acabando a música a banda retornou a tocar lentamente e as luzes se acenderam como estava antes. Minha mãe colocou ordem na festa e tudo voltou a ser chato e calmo como antes. Eu estava sentada em uma mesa com um cara chato que eu nem sei quem era, ele falava sobre uma guerra que aconteceu anos atrás, mas eu não escutei quase nada. Quando de repente alguém se senta ao meu lado. Me viro e me deparo com Joseph novamente.
Joe: Já que acabou a parte animada, vem que você  tem que pelo menos se movimentar no seu aniversário. - Ele segurou a minha mão e se levantou me puxando antes mesmo que eu pudesse responder. Me conduziu até a pista de dança e lá se virou pra mim, com a mão que não estava na minha segurou na minha cintura e começamos a dançar. Direita, esquerda.
----------------------------------//----------------------------------
DIVULGAÇÃO:
Sigammm:
http://fanficss-jemi.blogspot.com.br
A fic é nova e muuuuuuuuito boa!
----------------------------------//----------------------------------
Primeiro de tudo: quero me desculpar por não ter postado ontem, minha internet tava muito ruim e não salvava o post :(
Segundo: Muuuuito obrigada a todos os desejos de Feliz aniversário! <3 Respondi todos, pra ver clica aqui
Terceiro: BEM VINDAS NOVAS SEGUIDORAS!!
Quarto: Ainda tem a parte 3 da festa hehehehe
Quinto: Se esse post tiver 5 comentários, posto a parte 3 ainda hoje ;)
Amo vocêes! Beijosss

terça-feira, 23 de outubro de 2012

AVISO!

Queria me desculpar por não ter postado hoje como eu tinha dito que faria ontem... É porque hoje foi o meu aniversário! haha não tive nenhum tempo em casa e não consegui terminar o capítulo... :(
Mas amanhã, certeza que eu posto!
Me desculpem mesmo lindas... Sério...
UHUUL 15 ANOS!

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Not Like the Movies - 6º Capítulo (Parte 1)

Logo que eu fiquei pronta, respirei fundo e abri a porta do meu quarto, já havia muito barulho lá embaixo. Na hora que eu me coloquei pra fora do quarto, imediatamente dois seguranças se posicionaram atrás de mim e foram me acompanhando. Desci as escadas seguida deles devagar. Atravessei o corredor e então entrei no salão de festas, e quase fui cegada por flashes de câmeras em todos os lados. Dei um meio sorriso e continuei andando com os seguranças me guiando e não deixando que os repórteres chegassem perto. Eu odiava toda aquela atenção, mas tinha que ser educada, afinal essa era a minha vida. Logo anunciaram a minha chegada em um microfone e todas as atenções se voltaram pra mim. Minha mãe que estava conversando com algumas mulheres que eu nunca tinha visto na vida (aliás, não conhecia quase ninguém na minha própria festa de aniversário), veio caminhando até mim, e me abraçou me levando para cumprimentar as pessoas.
Depois de falar com um monte de desconhecidos eu finalmente consegui me sentar em uma mesa onde haviam dois caras tão entediados quanto eu, que se assustaram ao me ver sentar lá e saíram. Cara, eu odeio isso... Parece que eu vou matar eles ou alguma coisa do tipo.
As músicas que tocavam eram chatas e davam sono, poucas pessoas dançavam lentamente em dupla e a maioria só conversava e bebia.
XXX: Se divertindo?
Estava tão perdida em pensamentos que me assustei ao ouvir a voz no meu ouvido. Me virei rápido e dei de cara com ele.
Demi: Josh! Finalmente alguém que eu conheço nesse lugar!

Josh: Te falei que eu viria!
Demi: Ainda bem, pelo menos posso conversar com você...
Josh: Você não gostaria de dançar?
Demi: Não sei não...
Josh: Vamos Demi!
Demi: Já que você insiste... - Eu sorri, ele estendeu a mão para me ajudar a levantar, eu a segurei e me levantei, ele me guiou até o meio do salão, colocou as mãos na minha cintura, eu passei as minhas pelo pescoço dele e começamos a dançar lentamente. Eu imediatamente percebi que nós atraímos mais atenção ainda. Mas eu não estava nem aí. Nós dançamos por um bom tempo, ele me fazia rir com as coisas que falava. Era alguém que me entendia, passava pelas mesmas situações que eu. Eu vi com o canto dos meus olhos a minha mãe sorrindo olhando para nós. Com certeza ela já estava pensando que eu vou me casar com ele. Do jeito que a minha mãe é ela já deve até estar imaginando como serão os netos.
Josh: Eu vou pegar alguma coisa pra beber. Quer alguma coisa?
Demi: Não obrigada. - Ele sorriu e foi caminhando até a mesa onde estavam as comidas e bebidas. Eu caminhei um pouco e me sentei em uma cadeira.
XXX: Eai princesa!
E novamente eu me assustei. Olhei pro lado e lá estava ele, Joseph, puxou uma cadeira e se sentou ao meu lado.
Joe: Da pra ver o quanto você ta animada. - Ele disse irônico.
Demi: O que você quer dizer com isso?
Joe: Que essa festa tá um saco.
Demi: E o que você quer que eu faça? Chame os velhinhos pra dançar?
Ele riu e olhou em volta.
Joe: Vou dar um jeito pra você. - Ele disse, piscou e saiu andando.
Aposto que isso não vai ser bom...

----------------------------------------------//------------------------------------
Olha que a festa nem começou... hahahahaha
Queria agradecer todas vocês pelo apoio e pelos comentários, significam muito pra mim e eu sorrio com todos eles! Sério, muito obrigada mesmo :)
Respostas dos comentários do último post --> clica <---
Amo vocês gatas ;)
Posto amanhã a parte 2...
Beijosss
Sejam seduzidas pela piscadinha da Demi.



domingo, 21 de outubro de 2012

Not Like the Movies - 5º Capítulo

Acordei com batidas na porta. Era hoje, a grande festa. Por incrível que pareça eu até que estou animada pra isso. Não sei porque, já que eu passei as últimas semanas só reclamando dessa festa. Mas vamos lá. Eu me levantei e abri a porta, minha mãe entrou, me abraçou e me deu vários beijos na bochecha.
Dianna: Feliz aniversário filha! Eu desejo tudo de bom pra você e espero que você consiga um pouco de juízo nessa cabeça oca.
Demi: Brigada mãe... Eu acho...
Eu sorri e me sentei na cama. Ela se sentou ao meu lado e passou a mão pelo meu cabelo.
Dianna: O que você achou do príncipe Josh ontem?
Demi: Foi o único que realmente me impressionou.
Dianna: Então é ele?
Eu fechei a cara e olhei pro chão.
Demi: Mãe eu não quero escolher assim... Eu adorei o Josh, mas eu não posso simplesmente me casar com ele assim, somente tê-lo visto uma vez...
Dianna: Você vai vê-lo hoje a noite. - Ela bateu de leve o ombro dela no meu e sorriu.
Demi: Eu ainda vou pensar.
Dianna: Você sabe que tem que decidir logo, hoje está completando seus 18 anos e a lei...
Demi: Eu sei, eu sei mãe... Eu já disse que vou pensar tá? - Eu dei um beijo na bochecha dela, me levantei e fui para o banheiro me arrumar.
Dianna: Eu vou lá ver se está tudo em ordem, te encontro mais tarde filha.
Demi: Tabom mãe.
Tirei o pijama e tomei um banho, coloquei um vestido simples, porque a festa seria mais tarde, me maquiei e penteei o cabelo.
Coloquei o sapato e sai do quarto, desci as escadas e atravessei o corredor chegando ao salão principal que estava estranhamente vazio, fui então em direção ao salão de festas e então vi que todos estavam lá, pendurando fotos minhas, colocando a mesa de comidas, as mesas dos convidados, as luzes, haviam pessoas indo de um lado pro outro apressadas, e vi minha mãe no meio dando ordens pra todos feito louca. Passavam por mim e me cumprimentavam rapidamente. Fui andando pelo salão, com cuidado pra não bater em ninguém, haviam também ali alguns repórteres, nem eu sabia que essa festa estava tão famosa assim...
Avistei ao longe o tio Kevin ajudando outros seguranças a arrumar tudo, até os seguranças? Me aproximei dele.
Demi: Oi tio!
Kevin: Minha princesa! Parabéns! - Ele veio me abraçar com força
Demi: Brigada! - Eu sorri.
XXX: Pai onde eu coloco isso? - A voz veio de trás do Kevin, e era o desagradável do filho dele, aquele Joseph ou seja lá qual for o nome dele.

Kevin: Ah Joseph, deixa isso comigo, primeiro quero te apresentar uma pessoa.
Joseph me olhou e riu levantando uma sobrancelha.
Joseph: É, já nos conhecemos.
Kevin: Já? Bom, então tudo bem, eu vou colocar isso ali.
Eu fiquei o observando com os olhos estreitados e ele ficava olhando pra qualquer lugar menos pra mim.
Joseph: Quer que eu faça alguma coisa princesa?
Demi: Não preciso que faça nada pra mim.
Joseph: Então eu vou me retirar e ver se precisam de mim em outro lugar.
Demi: Como quiser.
Ele deu um sorriso falso, se virou e saiu andando. O jeito dele me irritava, muito.

Passei o resto da tarde somente vendo os preparativos da festa, e quando estava chegando o horário, fui me arrumar. Peguei meu vestido que já havia separado antes, o vesti, coloquei outro sapato, me maquiei novamente e prendi o cabelo. Como sempre fazia fiquei me olhando no espelho por um tempo.
Coloquei a minha coroa e esperei um tempo sentada na minha cama, somente pensando em tudo que estava acontecendo na minha vida. Eu tenho que me casar, e não tem outra opção.

-------------------------------------------------//--------------------------------
Bom galerinha o próximo capítulo vai ser a grande festa ;)
E posso dizer pra vocês esperarem muito dessa festa viu? hahaha grandes emoções a caminho...
Beijosss amo vocês!

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Not Like The Movies - 4º Capítulo + Divulgação

Demi: Ai tio, que susto!
Kevin: O que a senhorita está fazendo aqui no meu quarto?
Demi: Eu, bem... Eu passei por aqui e pensei em ver se você estava, já que nossa conversa foi interrompida antes.
Kevin: Bom, eu tenho poucos minutos... Pode falar.
Demi: É... Primeiro eu quero te perguntar... - Eu fui até o armário dele e o abri pegando o retrato que eu tinha visto. - Quem são esses?
Kevin: Minha mulher e meu filho.
Demi: Eu não sabia que você tinha filho... E porque eu nunca conheci a sua mulher?
Ele abaixou o olhar e se sentou na cama, percebi que esse era um assunto delicado.
Kevin: Minha mulher faleceu há 15 anos Demetria, você a conheceu, mas era muito nova pra lembrar. E aliás também conheceu o meu filho. Vocês dois tinham 3 anos e sempre brincavam aqui nesse castelo, mas depois que a Denise (minha esposa) morreu, eu deixei de trazer ele pra cá e vocês não se viram mais.
Demi: Eu queria me lembrar. - Eu disse me sentando ao lado dele.
Kevin: Bom que você tocou nesse assunto porque mais tarde você vai reencontrar o meu filho.
Demi: Ele tá aqui no castelo né?
Kevin: Sim, ele está, e pelo jeito você já o encontrou...
Demi: Não exatamente... Nós nos vimos, mas não fazia ideia de quem ele era.
Kevin: Ele veio me ajudar com os preparativos da festa, mais tarde eu te apresento a ele. Agora eu tenho que ir princesa, e é melhor você voltar pro salão porque eu acho que a desculpa do banheiro não vai durar tanto dessa vez...
Eu me levantei depressa.
Demi: Melhor eu correr. Brigada tio, até mais tarde!
Eu fui correndo até o salão e lá estava o príncipe Josh sentado no sofá com os braços cruzados somente observando o salão. Me senti até mal por ter deixado ele lá sozinho.
Demi: Oi, desculpa a demora! Minha mãe veio aqui?
Josh: Ah, não tem problema, ela não veio não. E você tem um castelo bem legal!
Demi: Haha que bom que gostou. Agora Josh... Eu não quero te expulsar nem nada mas...
Josh: Você quer ir pro seu quarto ou tem algo pra fazer.
Demi: Mais ou menos isso... - Eu disse sorrindo de lado.
Josh: Eu entendo. - Ele disse se levantando. - Mas gostaria de passar mais tempo com você depois, a gente se vê amanhã então?
Demi: Claro, foi um prazer. - Eu disse o abraçando.
Josh: O prazer foi meu Demi - Ele me abraçou de volta, depois desfizemos o abraço e ele foi pra saída.
Pelo menos um príncipe que realmente valeu a pena conhecer.
Eu fui pro meu quarto tirei novamente aquele sapato idiota e me deitei na cama, peguei meu livro e fiquei ali lendo até adormecer. Acabei dormindo demais e acordei somente quando todos já haviam ido dormir. E claro, eu estava com fome. Decidi sair sozinha mesmo. Abri a porta sem fazer barulho, quando sai o segurança que normalmente fica de olho em mim, dormia sentado na cadeira. Eu dei uma risadinha silenciosa e fui caminhando, desci as escadas e passei pelo corredor vazio e escuro até chegar na cozinha que também estava vazio. Dava até medo um lugar gigante daquele silencioso e escuro. Fui caminhando até a geladeira, onde encontrei uma bandeja cheia de doces pra festa e no meio deles o meu preferido: BRIGADEIRO! Eu não me contive e peguei alguns pra comer, tinham milhares pra festa, ninguém ia sentir falta de uns 5... Peguei 5 brigadeiros na mão, equilibrando-os pra não deixar cair e fazer meleca na cozinha toda. Me virei e quase infartei do coração ao ver uma figura parada na minha frente.
Demi: AI PUTA QUE O PARIU! - Eu gritei sem querer, deixei cair um brigadeiro e logo coloquei a mão na boca assustada.
Ele somente riu.
XXX: Não sabia que a princesa falava palavrão...
Eu fiquei olhando, estreitando os olhos pra reconhecer a pessoa no escuro.
Demi: Você é o filho do Kevin né?
XXX: Eu mesmo, prazer Joseph. Me chama de Joe.
Demi: Você quase me matou de susto.
Joseph: Nossa quanta educação.
Demi: Eu to com fome e você me fez derrubar um brigadeiro, como você quer que eu seja educada?
Joseph: Ah me desculpa, esqueci que você é a princesinha do castelo... - Ele disse irônico o que me fez não gostar dele. Ele passou por mim e abriu a geladeira pegando uma garrafa de leite e bebendo inteira.
Demi: Sabe que eu nem te conheço e já não gosto de você.
Joseph: Típico comportamento de princesa.
Demi: Não vou gastar o meu tempo falando com um grosso, com licença.
Joseph: Isso, não gaste seu precioso tempo comigo, madame. - Ele virou pra mim e se curvou rindo e revirando os olhos. Fechou a geladeira e sem olhar pra minha cara saiu da cozinha.
Que imbecil... Lindo... Mas imbecil... Eu não gosto dele, definitivamente.

----------------------------------------//---------------------------------------
DIVULGAÇÃO:
Todo mundo seguindooooooooooooooooo:
http://talitajeminatica.blogspot.com.br/
AGORA! Hahahahaha, sério o blog é muito bom, a fic melhor e a escritora melhor ainda ;)
---------------------------------------//----------------------------------------
Yey finalmente o primeiro encontro de Jemi!
Espero que tenham gostado, amo os comentários de vcs mesmo!
Becca, eu arrumei a foto do Josh no último post se quiser dar uma olhada lá ;)
Beijosss e até logo!


quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Not Like The Movies - 3º Capítulo

Quando eu cheguei ao salão principal, tive a enorme surpresa de encontrar a minha mãe sentada no sofá ao lado de um príncipe da minha idade e... BONITO! Só espero que não seja babaca, por favor não seja babaca. Eu me aproximei deles.
Dianna: Demetria, esse é o Príncipe Josh

 Fiquei um tempo só olhando-o dos pés a cabeça, ele se levantou e pegou minha mão beijando-a, o que me deu um pouco de arrepio eu admito.
Josh: É um prazer conhece-la princesa.
Demi: O prazer é todo meu. - Eu disse sorrindo.
Nós nos sentamos no sofá e minha mãe, percebendo que finalmente escolheu direito, foi pra cozinha me deixando só com ele... E com os seguranças de sempre.
Josh: Você tem um reino incrível princesa, e eu vim para te fazer a proposta de casamento que está sendo tão disputada.
Meu sorriso saiu do rosto imediatamente.
Demi: Ah não...
Josh: Algo de errado?
Demi: Não... Eu já estou até acostumada com isso, ser tratada como um prêmio.
Josh: Ah não! Eu não quis dizer isso... Ah quer saber, na verdade eu estou aqui porque meu pai me mandou... Ele quer que eu me case, e quando soube que você procurava um noivo ele imediatamente entrou em contato com a sua mãe...
Demi: Ah finalmente, alguém que me entende, minha mãe tá totalmente no controle da situação, ela quer que eu me case e eu não tenho outra opção... Não quero me casar por obrigação.
Josh: É eu te entendo princesa...
Demi: Me faz um favor? Não me chama de princesa... Me chama de Demi só...
Josh: Tudo bem Demi. - Ele sorriu.
Demi: Eu posso te pedir outra coisa?
Josh: O que quiser...
Demi: Fica aqui um pouquinho só, e se minha mãe aparecer fala pra ela que eu fui no banheiro?
Josh: Porque exatamente?
Demi: Preciso... Resolver uma coisinha...
Josh: Se é assim, eu faço isso, pode deixar. - Ele piscou pra mim e eu sorri.
Demi: Muito muito obrigada! - Eu me levantei e me virei indo em direção ao corredor, mas antes - Ah Josh, te vejo amanhã na minha festa?
Josh: Pode contar com isso!
Demi: Ótimo.
Eu fui em passos apressados em direção ao corredor. Os seguranças acreditaram na história de que eu ia no banheiro então nada fizeram. Eu passei rápido pela cozinha para minha mãe não ver e fui em direção ao quarto do tio Kevin. Chegando lá, a porta estava fechada. Eu bati, uma, duas vezes e ninguém atendeu. Eu virei a maçaneta e a porta se abriu mas o quarto estava vazio. Droga. Mas já que eu já estava lá mesmo, decidi entrar. O quarto estava levemente claro, com a luz do sol vindo da janela. A cama do tio Kevin estava uma bagunça total, roupas jogadas e amassadas, um celular jogado, uma mala aberta (aquela que eu tinha visto um cara mexendo antes) e alguns livros. Coisas que com certeza não pertenciam ao segurança do castelo. Ao lado da cama estava o armário aberto e meio desorganizado. Eu como uma princesa estava acostumada a tudo no lugar certo, já que o dia inteiro tem arrumadeiras no meu quarto, chega até a ser chato. Dentro do armário algo me chamou atenção. Lá estava um porta-retrato e nele haviam duas pessoas. Uma delas era uma mulher morena e sorridente que abraçava um garoto alto, moreno e forte. Era o cara que estava aqui mais cedo. Eu observei a foto por alguns instantes e depois a deixei no lugar onde estava. Fui pra fora do quarto, fechei a porta e quando eu me virei pra voltar pro salão principal me deparei com uma figura já vista antes, e me assustei gritando de leve.
XXX: Perdeu alguma coisa princesa?

 --------------------------------------------------------------------------------
Continua no próximo ;)
Obrigada a todas pelos comentários, e bem-vindas novas seguidoras! UHUL!
Alguém aí notou que eu mudei o visual do blog? Não? Ok. hahahahahha
Amo vocês lindas!
Beijoss 

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Not Like The Movies - 2º Capítulo

Eu fui descendo com cara de morta pela escada. Ninguém merece ficar ouvindo caras estranhos e fedidos te elogiando e falando deles mesmos como se fossem o último biscoito do pacote. Eu não aguento mais... Eu tenho vontade de fugir.
Ao descer a escada tinha que passar por um longo e largo corredor para no final chegar ao salão principal. É um castelo bem grande. Eu fui caminhando pelo corredor que estava bem barulhento, todos naquele lugar estavam trabalhando feito loucos pra deixar tudo do jeito que a minha mãe queria. O meu sapato estava me incomodando então eu andava meio desajeitada e o mais devagar possível para não chegar lá tão rapido. Dei uma breve parada quando cheguei a porta do quarto do Tio Kevin e... OPA! Tomei um leve susto quando vi um homem que não era o Tio Kev no quarto dele, nunca tinha o visto por ali antes, e olha que eu conhecia todos no castelo. Fiquei ali parada observando o cara sem camisa mexer em algumas malas em cima da cama até que ele olhou diretamente pra mim e eu como sempre muito esperta olhei para o outro lado do corredor tentando disfarçar e saí andando em direção ao salão. Genial Demi, genial. Pela primeira vez nesse castelo tem alguém bonito e você age feito uma idiota. Mas enfim, vamos aos meus pretendentes maravilhosos...
Entrei no salão principal e lá estava um príncipe sentados no sofá conversando com a minha mãe e três seguranças em volta. Fui caminhando desanimada até chegar lá.
Dianna: Ah, aqui está ela! - Minha mãe se levantou do sofá rápido ao me ver e me mandou um olhar de desaprovação pelo meu atraso. Eu simplesmente dei de ombros. Dei o sorriso mais falso que consegui para o principe. E olha só, mais um velho gordo e barbudo.
Ele se levantou com dificuldade e veio até mim, pegou a minha mão e a beijou. Eca.
Principe: Adorável Princesa Demetria. É um prazer conhecê-la.
Demi: Queria poder dizer o mesmo. - Eu disse seca.
Minha mãe me olhava e estava quase me batendo. Mas eu não ligava. Me sentei no sofá e lá fiquei, sem a menor vontade.
Principe: É... Bom... Princesa, eu venho de um reino distante, tenho uma das maiores riquezas do mundo e toda a comida que eu quiser.
Demi: Interessante... - Eu disse sem o menor interesse, olhando em volta.
Principe: Eu... Eu já lutei em várias guerras!
Demi: Aham...
Principe: Eu tenho... É...
Percebi que ele não tinha mais o que falar então me levantei.
Demi: É isso? Então já vou indo.
Dianna: Demetria!
O principe envergonhado não sabia o que falar.
Demi: O que foi? Ele já disse o que tinha pra dizer, eu já ouvi, pronto.
Minha mãe olhava pra mim brava e colocou a mão na cabeça como se dissesse "O que eu vou fazer com essa menina?"
Demi: Tabom então. - Eu me sentei de novo. - Continue. - Eu olhei pra ele o que o deixou mais nervoso.
De repente eu vejo aquele cara do quarto do tio Kev entrando no salão. Quando ele viu que estava acontecendo alguma coisa ele parou lá na passagem do corredor e ficou observando.
Principe: Bom princesa eu, bom eu... É, eu acho a senhorita muito bonita.
Demi: Aham. - Eu disse sem prestar atenção, olhando pro cara que agora vestia uma roupa casual, como... Um adolescente normal...
Ele olhou pra mim o que me fez acordar do transe e voltar a olhar pro principe.
Demi: É, desculpa o que você dissse?
Principe: Que eu acho a senhorita muito bonita...
Demi: Ah tá... - Eu disse desviando o olhar de novo para o garoto que ainda olhava pra mim e agora ria, provavelmente percebeu o quanto aquela situação era desagradável.
Principe: Isso é uma falta de respeito! - Ele disse se levantando e puxando a calça que estava quase na metade da bunda. - Eu vou embora daqui!
Demi: Vai tarde... - Eu sussurrei, mas ele ouviu.
Principe: Ora!
Eu me levantei e sorri, dei as costas pra ele e fui andando em direção ao corredor, onde o garoto ainda estava parado. Eu passei por ele olhando em seus olhos, que eram lindos, mas depois abaixei o olhar e fui para o meu quarto e ele ficou ali parado e seu olhar me seguindo. Minha mãe veio atrás de mim claro, depois de mandar o gordão embora.
Eu entrei no meu quarto e fechei a porta, tirei aquela porcaria de sapato que me incomodava e sentei na cama. Logo minha mãe entrou.
Dianna: Você não pode agir como uma pessoa civilizada pelo menos na frente de um principe?
Demi: Mãe, eu já tive que aguentar muitos caras falando besteira e ser educada, agora já chega pra mim.
Dianna: Ai filha... - Ela se sentou do meu lado e acariciou meus cabelos. - O que você quer que eu faça? É a lei, você precisa arranjar um pretendente, e já fará 18 anos amanhã. Eu estou tentando te ajudar!
Demi: Sabe o que eu quero? Uma vida.
Minha mãe ficou sem resposta. Eu acho que fui muito grossa com ela, mas é a verdade. Ela se levantou e saiu do quarto sem dizer mais nada, mas antes de sair eu a chamei.
Demi: Mãe!
Dianna: O que?
Demi: Chama o Tio Kev por favor.
Ela saiu e alguns minutos depois o Tio Kev entrou.
Kevin: Mandou me chamar?
Demi: Senta aqui tio, quero conversar.
Kevin: O que houve dessa vez?
Demi: Ah o mesmo de sempre, principes idiotas tentando me conquistar... Mas não é sobre isso que eu quero falar.
Kevin: Então o que é?
Demi: Bom...
E alguém bateu na porta. Era um dos outros seguranças.
Segurança: Kevin, a rainha está te chamando no salão de festa.
Kevin: Tenho que ir querida, depois a gente conversa.
Segurança: E ela mandou a senhorita ir ao salão principal princesa, parece que outro principe chegou.
Demi: Ah ótimo... - Eu disse caindo de costas na cama. Mas logo me levantei e fui lá pro salão novamente e tive uma pequena surpresa...

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Not Like the Movies - 1º Capítulo

Nunca foi fácil ser eu. Pra começar eu vivo em uma prisão. Bom, não é o que todos pensam, mas é a realidade. Eles veem o que eu mostro pra eles, uma princesa sempre sorrindo que vive em um gigantesco castelo e tem uma vida perfeita e feliz. Falso, tudo falso. Eu sempre fui uma criança criada para agradar todos, minha mãe controla a minha vida inteira, desde o momento em que eu acordo até a hora de dormir, sempre sorrir, ter postura e comprimentar todos. Chatice total. Sou uma adolescente, mas minha vida sempre foi uma mesmice. Todos os dias olhando para as mesmas paredes, e o máximo que eu via do mundo era da varanda do meu quarto. Montanhas e todo fim de tarde, o por-do-sol. O castelo ficava meio isolado, no meio dos morros, e depois a cidade, bem longe, um lugar que eu nunca tinha ido conhecer.
De acordo com a lei de Polisséia a princesa ao completar 18 anos deve se casar para assumir o reino, e para minha infelicidade, amanhã eu chego nessa idade. Nos último 6 meses nesse castelo foram os mais movimentados na minha vida toda. Vários príncipes de outros reinos vieram para conhecer a princesa, que infelizmente sou eu, e tentaram me impressionar para que eu escolha um deles para me casar. Mas era cada coisa estranha... Principes com mais de 50 anos, ou de 15... E aqueles que tinham uma idade apropriada eram chatos, metidos e me tratavam como um prêmio que estava sendo disputado. Eu odeio a minha vida. E agora tenho que me casar com alguém obrigatoriamente, ou então perco o trono. Por mim não teria problema nenhum porque meu sonho é sair dessa prisão que chamam de castelo. Mas minha mãe não aceita isso, ela nem me ouve, simplesmente quer que a minha vida seja do jeito que ela quer. Mesmo com todas as exigências eu amo a minha mãe e não imagino ficar sem ela. Ainda mais que perdi meu pai quando tinha 8 anos de idade. Ele se meteu em um conflito com outro rei, e acabou sendo assassinado. Desde essa época minha mãe dedica todo seu tempo à mim, ela ficou muito mal com a perda do meu pai, mas não demonstra isso.
Eu gostaria mesmo de ter uma vida normal, amigos e poder conhecer alguém que mexa comigo e me casar quando eu realmente me apaixonar por alguém. Com esse sentimento, o amor, eu nunca tive contato.
Mas eu já me conformei com essa vida, vou passar o resto dela aqui nesse lugar, vou me casar com alguém e terei que me acostumar com isso.
*Toc toc toc*
Droga. Hora de acordar. Minha mãe sempre me acorda, e hoje ainda mais cedo, porque amanhã vai ser a grande festa de aniversário da princesa Demetria, e nós iremos arrumar tudo hoje. Oba...
- Demetria, hora de se levantar. - Minha mãe abriu a porta e já foi entrando tirando a coberta da minha cabeça e me dando um beijo na testa.
Eu murmurei qualquer coisa em resposta e ela, percebendo que eu não queria me levantar, puxou todo o cobertor e jogou-o no chão.
- Mãe! Da pra ter um pouco de paciência?
- Não, hoje você sabe que tem que levantar cedo. Vamos logo porque já vão chegar dois principes.
- Eu não quero mais ver principes, não aguento mais... - Eu disse fazendo bico e me sentando na cama. Por eu ter acabado de acordar, minha aparência estava horrível, cabelo desarrumado e um pijama amassado.
- Minha filha, você não gostou de nenhum dos principes que vieram nos últimos seis meses. Você até chutou um deles!
- Ele mereceu... - Eu disse rindo.
Minha mãe segurou o riso mas eu percebi que ela concordava.
- Vai se aprontar filha, te vejo no salão principal em 15 minutos.
- Posso pelo menos escolher minhas roupas hoje? - Perguntei esperançosa mas já sabia a resposta de sempre.
- Já deixei a sua roupa no cabide do banheiro. - Ela disse e saiu do quarto. Lá vou eu.
Me levantei e andando que nem um zumbi fui até o banheiro, quase caí dentro da banheira e tropecei na prateleira derrubando alguns potes de creme.
- Boa Demi, você é uma genia.
Eu mesma me chamo de Demi, a única pessoa que me chamava assim era meu pai, o resto é sempre "Demetria", "Princesa", "Vossa Alteza" essas coisas chatas e formais que eu odeio.
Peguei o vestido que minha mãe pendurou no cabide, pelo menos não era tão formal e sério como os outros que ela normalmente escolhe. Sempre são aqueles compridos e que faziam com que eu parecesse ter 20 anos a mais. Mas esse era um dos que eu tinha escolhido. Eu tomei uma ducha rápida e coloquei o vestido. Me maquiei, penteei o cabelo e ali estava a "Princesa Demetria". Pelo menos uma vez na vida eu queria acordar e sair desse quarto como "Demi". Mas essa não era a minha vida.
Abri o armário e peguei ali, o símbolo da minha realeza, a coroa. Coloquei-a na cabeça e fiquei me olhando no espelho por alguns minutos. Até que alguém bateu na porta do banheiro e eu voltei pra realidade.
- Já vou descer! - Eu gritei.
Eu sai do banheiro coloquei o sapato e fui para fora do quarto, desci as escadas e cheguei ao salão principal, onde minha mãe estava falando com a cozinheira e com o segurança.
- Bom dia Tio Kev! - Eu disse sorrindo e corri para abraçá-lo. Kevin era segurança da minha família até antes de eu ter nascido e era a pessoa em quem eu mais confiava no castelo inteiro, e o único que me ouvia de verdade.
- Ah minha princesinha! Bom dia! - Ele me abraçou de volta. - Amanhã é o grande dia hein?
- É... - Eu disse desanimada.
- Demetria, vai lá na cozinha com a Lúcia (cozinheira) e diz pra ela como você quer tudo. - Minha mãe disse impaciente. Ela esperava por essa festa há muito tempo, tudo tinha que ser perfeito.
- Tabom mãe... Tchau tio Kev...
- Tchau querida, te vejo mais tarde.
 Eu fui até a cozinha e falei para a Lúcia que fizesse o que ela quisesse e voltei pro meu quarto. Até que minha mãe mandou me chamarem para conhecer mais pretendentes...